sexta-feira, 16 de maio de 2008

O início

Olhando para trás temos de puxar pela memória para nos recordarmos do caminho que nos trouxe até aqui. Mas recordar é bom quando os sentimentos também o são...

Desde que nos conhecemos que desenvolvemos uma relação baseada na confiança mútua e no facto de que não somos donos de ninguém a não ser de cada um de nós: partilhamos um caminho, mas não perdemos a nossa identidade pessoal.

Esse caminho levou a que um dia juntássemos os 'trapinhos'.

Mas o sentimento permanecia e a determinação aumentava: não queríamos ser mais um casal acomodado a uma rotina... Em que o afastamento surge porque ocultamos do outro o que pensamos e o que fazemos... Não queríamos ter agendas secretas para com o outro. E não nos revemos na sacrossanta hipocrisia de trair mantendo as aparências, nem de cobiçar mas olhar para o lado como se a pudicidade fosse algo que nos aumenta enquanto nas sombras fazemos tudo. E como sempre fomos honestos e directos um com o outro, um dia as fantasias vieram todas a lume, mesmo as mais ousadas... Aquelas que muitos não têm coragem de admitir e muito menos verbalizar. E ainda bem que o fizemos!

Um dos temas que discutimos foi a hipótese de incluir outras pessoas na nossa intimidade. Assunto extremamente provocante, com muito para falar e que espicaça as mentes e a libido. A imaginação levou-nos a vaguear por cenários infindáveis e excitantes!

A ideia cresceu e tomou forma: o interesse aumentou e com ele a hesitação... O que iríamos encontrar? O que seria estar com outras pessoas? O que iríamos sentir? Como iríamos reagir?

Debatemos estas dúvidas durante um ano e fomos amadurecendo ideias: o que pretendíamos, com quem pretendíamos, o que poderia acontecer de bom e o que poderia correr mal e chegámos a uma conclusão: está na hora de falar com outros sobre o assunto!

A ideia do swing, a tão idolatrada e temida ideia da troca de casais foi a que nos agradou mais inicialmente. Por tudo o que envolve abrir a intimidade do casal à influência de outros, pelas sensações que provoca, pelas emoções que agita, pela atracção que exerce e ao mesmo tempo pelos riscos que acarreta.

Conscientes de tudo isto, avançámos. Não nos arrependemos de o termos feito, nem das opções que tomámos então, e muito menos do compromisso mútuo que fizemos: o de sempre viver tudo em comunhão. As pessoas que fomos conhecendo foram deixando a sua marca, a sua forma de pensar e ajudaram ao evoluir da nossa forma de pensar e de sentir. Não é fácil e o caminho nem sempre é livre de sobressaltos, mas saímos da viagem mais fortes e seguros de nós mesmos, da nossa relação e do que nos une. A sorte também desempenhou o seu papel, e muito temos a agradecer aos primeiros casais que conhecemos neste meio liberal, pela simpatia, disponibilidade e forma serena como nos receberam e por toda a paciência que tiveram com as nossas dúvidas e inseguranças típicas de quem procura o seu espaço próprio.

Hoje sabemos qual é esse espaço. Sabemos o que procuramos e o que é importante nas relações que mantemos. Não somos adeptos de 'sexo por sexo', mas sim de uma forma positiva de viver o meio liberal. Damos valor às pessoas e ao que sentimos com elas, seja numa boa conversa, num jantar, num clube ou em algo mais íntimo. Concretizámos as nossas fantasias e pelo caminho fizemos bons amigos! Nem sempre existindo partilha de intimidade, a partilha de ideias e ideais também é um veículo para a nossa forma de estar na vida.

Acima de tudo, há que respeitar e ser respeitado: cada cabeça sua sentença! As opiniões são parecidas com o BI: pessoais mas transmissíveis ou partilháveis, apenas vinculando quem as sente como suas. Mas é dessa comunhão de opiniões que o meio liberal vive. Esperamos poder dar o nosso pequeno contributo para que o amanhã seja sempre melhor que o hoje.

Bem hajam todos! Sejam felizes e ajudem outros a sê-lo, sem complexos ou medos.

Beijos e abraços,

A & P

P.S.: Todas as opiniões contam...deixem a vossa... ;)

9 comentários:

casalxxexy disse...

Bem, por vezes acontece ler algo que parece escrito pelo nosso proprio punho. Parte do que aqui lemos, vai de encontro ao que sobre nós descobrimos, que o mais dificil é de trocar fantasias com a/o parceiro, com receio de ferir sentimentos profundos. E afinal, ainda temos tanto para descobrir, mais sabendo que no fundo, partilhamos ainda mais do que imaginamos, mesmo que seja a vontade de trocar ideias e ideais.

Susy_Paulo disse...

Que boa surpresa foi encontrar quase por acaso o vosso blog caros amigos!
Surpresa porque não sabíamos que tinham um blog...boa porque como era de esperar o conteúdo é mt bom,como seria de esperar tb de umas cabecinhas tão arejadas como as vossas :)
Adorámos,como os adoramos a vcs e vamos ficar «clientes» habituais ...beijocas!
Susy e Paulo

A & P disse...

Caríssimos Susy_Paulo, agradecemos o vosso apoio ao nosso recém-criado blog expresso em tão gentis palavras :)

Tudo de bom para vcs e até breve!

Beijos e abraço,

A & P, Sex Lover Couple

gaijo disse...

o blog promete..

Casal LD disse...

obrigado pelo vosso testemunho.

um farol para está a começar

beijos e abraço

Casal LD

Anónimo disse...

Bem amigos, apesar de termos já muita curiosidade, nunca vos visitamos tão intimamente e temos de vos dizer que é um prazer, verificar que a liberdade de sentir e pensar ainda se aplica a alguns. que a felicidade vos persiga, na satisfação da descoberta. bem hajam
Casalamorunido
Luis e Maria

sithycpl disse...

Encontrei o blog pelo xsocial e adorei tudo...principalmente este topic! Muitos parabéns e é bom ver um casal assim***

M. Allwarr disse...

Parabéns!!! "A Hipótese de Eros" da Emanuelle Arsan bem que podia ser livro de estudo no ensino oficial para ver se as sexualidades deixavam de ser tabus.

Anónimo disse...

http://www.soparaela.net/
Sex Shop SoParaEla.Net, a maior sex-shop online de Portugal com artigos eróticos aos melhores preços. Envio em 24 Horas. Sigilo absoluto. Tudo para o sexo