sexta-feira, 4 de julho de 2008

Nós e os outros...

Quando passeamos, fazemos compras ou simplesmente vamos para o trabalho, damos por nós muitas vezes a olhar quem nos rodeia. É verdade que apreciamos quem connosco se cruza: um belo olhar, umas belas pernas, um corte de cabelo giro, um corpo trabalhado, a roupa... enfim, avaliamos de acordo com os nossos gostos. E rimos, brincamos e perguntamos ao outro se quem encontramos lhe agrada.

Vem desde cedo esta postura. Somos olhados de lado porque rimos e brincamos em público de forma descarada, até porque discutimos certas coisas seja onde for. Simplesmente já não conseguimos deixar de o fazer. Vem da força de partilhar, do hábito de colocar as nossas ideias e sentimentos sempre visíveis aos olhos dos dois.

Já muito fantasiámos com pessoas que vimos em restaurantes, cinemas, no supermercado ou nos transportes, sendo transportados pelo constante 'picar' da nossa cara-metade para um momento de pura excitação, simplesmente falando de alguém que fisicamente nos aquece o sangue. Muitos lábios tocados e beijados, muitos vestidos despidos e corpos tocados, acariciados e levados os êxtase tivemos os dois, sem nunca termos sequer metido conversa com um desses desconhecidos. Mas são eles que vão alimentando em alguns momentos a nossa imaginação, peça fundamental da vida. Como em qualquer clube liberal ou vulgar discoteca.

Quantos ou quantas não 'comemos' já com os olhos e 'saboreámos' com a boca sem sequer sabermos quem são? Não nos torna tarados e muito menos abusadores, em especial porque as pessoas vestem-se para se fazer notar, para que essa cobiça surja e possam assim sentir-se desejadas. Até a atenção de quem não nos enche as medidas nos sabe bem intimamente. E a libido vai sendo renovada a cada olhar, de cada vez que saimos de nossas casas para mais um dia. Não quer isto dizer que dentro de casa não se exercite o mesmo, mas fantasiar com alguém inacessível é demasiado apelativo e sedutor para que deixemos de o fazer.

Afinal, quem sonha e fantasia também toca a felicidade, mas mais de longe... E nem só de pão vive o Homem, a alma também carece de alimento...

E o vosso, qual é?


Até breve!

A & P

7 comentários:

Casal LD disse...

belo texto

podia ser escrito por nós, tal a coincidência da forma de estar fora de portas, é assim que partilhamos o nosso estar quando saímos, olhando vendo comentando e saboreando com os olhos e com alma aqueles que por nos se cruzam.....

abreijos

Paulo e Maria

Casal Inviters disse...

Partilhamos a mesma forma de estar!!:))
bjs
ines e filipe

luafeiticeira disse...

Partilhamos a vossa ideia e por isso vos digo que ainda bem que deixaram um comentário no blog da luafeiticeira, pois assim tivemos ocasião de conhecer um blog que nos enche as medidas. Podemos linká-lo?
beijos

Afrodite e Eu disse...

É esse o espírito em que eu sempre acreditei para formar um casal com alguém.
Ter espírito de equipa, partilha, troca de todas as emoções.
Eu, tu e nós sem tabús nem jardins secretos.
Parabéns por serem como são, porque uns têm outros não.
E quem tem, é concerteza mais feliz.
Bjs daqui
Afrodite

Anónimo disse...

E quantas vezes não nos apercebemos, nos olhares de quem nos observa, da quase certeza dos mesmos desejos ?
;)
Miguel, Paramais

jade couple disse...

Parabéns, leram-nos o pensamento, a ideia do inacessivel é tao somente fabuloso e dá uma enorme vontade, de o tal jogo de olhares, de palavras com o parceiro e imaginar quem,como,o que com aquelas pessoas que nos cruzamos e nao conhecemos. Realmente umas palavras que nos assentam na perfeiçao.

Anónimo disse...

Ja tudo foi dito e mesmo assim nunca foi demais.. leram o nosso pensamento incrível.. saber ler e sentir estas palavras é algo que perdura em nossos maiores desejos em lugar que cada um sabe.. nossa consciência.. meu corpo está vibrando e lutando fazendo ou cumprindo ordens que vem de um sentido que ninguém pode controlar..somente cada um o tem e do seu jeito.. o resultado acaba por ser igual em todos nós.. desejo carinho sensualidade erotismo fantasias sexo.. etc..
Beijos Antonio e Angela